Sub20 do Vasco estréia contra Atlético-MG no Brasileiro

Seg, 5 de Dezembro de 2011
Atlético-MG 1X0 Vasco da Gama
Porto Alegre-RS Estádio Passos D’areia

Vasco: Fabricio; Washinton, Luan Garcia, Jomar e Dieyson, ;Elivelton, Pereira, Marcus Vinícius, Luciano e Marlone; Romário. Técnico: Galdino. suplentes: João Victor, Junior Fell, Andrey, Guilherme, Jhon Cley, Morano, Willen.

Na estréia do Vasco no Brasileiro Sub20 o técnico Galdino colocou a equipe postada de forma similar à adulta com três volantes e dois meias, Luciano e Marlone, se aproximando do centroavante Romário.

Fabrício, no Vasco desde o Mirim, somente agora aos 19 anos teve chance de ser titular do Júnior.

Washinton, também antigo no Vasco, colega de Philippe Coutinho no Mirim, continua improvisado na Lateral Direita, ele que é meia-atacante de origem.

Detalhe, o gramado sintético dificultou para ambas equipes mas o Atlético pelo menos fez o reconhecimento, já o Vasco, não.

No primeiro tempo o esquema não funcionou, com o centroavante muito isolado e o meio de campo com 5 jogadores não se aproveitando do entrosamento que deveria existir. O Vasco pouco construiu e o goleiro Fabrício foi muito exigido.

Nos primeiros minutos do segundo tempo o Técnico Galdino colocou mais um atacante, Willen, no lugar do Meia Naninho, para logo depois colocar o Meia Guilherme no lugar do centroavante Romário, mantendo o esquema.

Mas quem abriu o placar foi o Atlético aos 23′. O Vasco logo reagiu com Guilherme acertando a trave após tabela com Willen.

Aos 26′ o esquema do Vasco foi abandonado quando o Volante Pereira deu lugar aos centroavante Morano.

Apesar das mudanças o panorama permaneceu o mesmo até o fim.

3 Respostas para “Sub20 do Vasco estréia contra Atlético-MG no Brasileiro

  1. ‘e impressionante o galdino nao ganha de ninguem, fico triste pelos meninos d ter um tecnico tao cabeca dura e nada nada umilde.cade o cicero nesse time? onde esta o bruno paixao neste time ? esse galdino ta de sacanagem isso ‘e um fanfarrao. o cara nao ganha uma partida , o vasco foi pressionado o tempo todo, deste time joga marlone , romario, guilherme , jomar, e acabou. nao da, o cara deixou um time inteiro de bons jogadores em sao januario.

  2. Para ser vice, tem que chegar na final

    A maior sinal do mau perdedor é quando tenta diminuir o sucesso do outro. É uma grande fraqueza de caráter esconder seu fracasso pessoal querendo tornar menor algo de que não foi capaz. Tem sido essa a constante assertiva de torcedores fanatizados em relação ao Clube de Regatas Vasco da Gama ao longo de muitos torneios e campeonatos. A inteligência mediana, isenta de qualquer melodrama, fanatismo e despeito erá observar que o desejo de todo aquele que torce por qualquer esporte, por qualquer bandeira, mesmo que se trate de eleição é estar entre os finalistas, é chegar na final.
    O estudante que faz o vestibular, o concurso público, se candidata a algum prêmio, sabe que seu esforço terá valido a pena se estiver entre os primeiros classificados, afinal, quem pode ficar feliz por ser eliminado nas primeiras rodadas? Todos sabem que bom mesmo é chegar nas finais, mas como disse, é preciso inteligência e quando se trata de fanatismo, esse é um artigo raro, não existe fanático saudável, por isso mesmo pessoas assim cometem agressões, vandalismos, assassinatos, atentados, quer seja na defesa religiosa, política ou esportiva. O fair play que o torcedor são espera ver dentro de campo e que os bons jogadores cultuam, são mercadorias escassas nas arquibancadas, saber perder é uma virtude que engrandece, diminuir a vitória alheia é uma vergonha inconcebível, torna o perdedor alguém que expõe seu fracasso por meio do despeito incorrigível.
    Menosprezar um vice campeonato parece um contrassenso, afinal, defender que isso não aconteça com o “time do coração” é o mesmo que desejar que ele seja eliminado do campeonato o mais rápido possível, afinal, de treze times, por exemplo, somente um poderá ser campeão e a probabilidade de não ser é sempre maior o que significa que os melhores times vão querer sempre estar entre os finalistas sabendo da hipótese de não chegar a ser o primeiro.
    O bom torcedor gosta é do bom jogo e vibra por seu time em qualquer situação. O bom jogador é acima de tudo um profissional, então, hoje pode estar no time que venceu, amanhã no que perdeu, não é ele sozinho que faz as vitórias, ajuda no seu máximo, mas é o bom torcedor que faz a imagem de seu time e, não raro, os novos possíveis torcedores são atraídos não pela violência e choro dos vencidos, mas pela alegria de poder saber que seu time se esforça para ser o melhor dentre os melhores.
    Vascainos, Botafoguenses, Fluminenses,…Não importa. Ninguém deve pensar que é menor ou que deve abandonar seu time por ele ter ido mais longe em um campeonato que os demais, afinal, se um time é “acusado” de ser sempre vice, significa que sempre chega onde os outros não conseguem de forma que todo campeonato tem uma final com dois times, e parece que um desses dois times tem sempre mais chances de ser um desses dois, logo, é um time muito bom.
    Então, para aqueles que já foram, são ou vão ser vices, saiba que isso é muito porque só é vice quem consegue chegar na final, algo desejado por todos os torcedores do planeta.

    John

  3. Olhando esse time parece o mesmo do ano passado,time pesado,sem toque de bola,sem qualidade nos passes,sem equema tático,sem velocidade,o Galdino teve um ano para fazer esse time jogar e não conseguiu,deixar o Guilherme Costa no banco não precissa dizer mais nada.
    Abraço.