Fluminense de Feira empresta Volante à Base do Vasco

Bahianotícias
Por Felipe Santana

Marcus Vinícius Foto: Fluminense de Feira

Apontado como uma das promessas das categorias de base do clube, o volante Marcus Vinícius, do Fluminense de Feira, já respira novos ares. O jovem atleta de apenas 19 anos foi emprestado ao Vasco da Gama até o final de novembro, onde será integrado ao time sub-20 cruzmaltino e disputará também o Campeonato Brasileiro da categoria sub-23.

Em contato com o Bahia Notícias, o presidente do Touro do Sertão, Luiz Paolilo Filho, explicou a negociação e detalhou como o clube carioca chegou até o garoto.

“Um empresário assistiu alguns jogos do Marcus e gostou muito. Levou a proposta até o Vasco e prontamente eles nos procuraram para levar o jogador. Não estipulamos o preço, mas, caso ele caia no gosto do Vasco, existe a possibilidade da venda de 50% dos direitos federativos”, declarou.

Marcus, que atua como segundo volante, disputou partidas como titular do Flu de Feira na Copa Nordeste, Campeonato Brasileiro da Série D e Copa Jaques Wagner em 2010. Na atual temporada oscilou entre titular e reserva, mas, com a chegada de Ferreira, se firmou entre os 11 da equipe principal.

“É um garoto de muito talento. Jogador forte, alto e sabe sair jogando. Com a estrutura do Vasco e a qualidade dele, tem tudo para crescer e ganhar destaque nacional. Eu aposto nele!”, assegurou.

Anúncios

Ferguson quer categorias de base do Manchester treinem mais tempo

Por GLOBOESPORTE.COM

Sir Alex Ferguson, também conhecido por gastar pouco nas janelas de transferências e por ser um treinador acostumado a moldar jovens jogadores, acredita que os Diabos Vermelhos devem tentar “copiar” o jeito de trabalhar do Barcelona para também criarem novos talentos no futuro.

– As pessoas têm que entender a mecânica do futebol. A base é muito importante. Nos trabalhamos os jovens por pouco tempo no dia, enquanto eles podem treinar o dia inteiro, se quiserem. É uma grande vantagem e uma filosofia fantástica – disse.

O problema é que, na Inglaterra, há uma lei imposta pela Federação de Futebol do país que estipula que jogadores de até 16 anos não podem treinar por mais de 1h30 por dia. Segundo Ferguson, isso é prejudicial ao desenvolvimento dos jogadores.

– Espero que nos próximos anos tenhamos a possibilidade de trabalhar mais tempo com os jovens, de ensinar o básico, os fundamentos e a confiança para que eles possam jogar como esse time do Barcelona. Somos bons neste tipo de trabalho, mas ainda não tão bom como eles – completou.

Curiosamente, uma das gerações mais vitoriosas do Manchester United também nasceu nas categorias de base do clube. A famosa “Classe de 1992”, que tinha nomes como Beckham, Giggs e Scholes, conquistou diversos troféus, entre eles, a Liga dos Campeões de 1999.

Sub15 do Vasco empata com Macaé

Dom, 29 de Maio de 2011
Macaé E.C. 1×1 C.R. Vasco da Gama
15h no CT Fazendinha em Macaé

Gol de Mosquito

Vasco: Juninho; Foguete, Italo, Felipe Erthal (Fernandinho) e Loran; Matheus Montes, Lucas Barboza (Hugo Almeida), Caio Faier (Igor) e Bruno Cosendey (Mykaell); Mosquito e Lauder. Técnico: Cássio. Coordenador: Fabio Fernandes. Prep. Físico: Guttemberg. Tr. de Goleiros: Rômulo Rodriguez. Suplentes: João Paulo, Matheus Barbosa e Léo.

Se por um lado o Técnico Cássio pode contar com o retorno de Mosquito ao ataque nesta temporada, por outro sofreu com as ausências de Índio e Baiano no meio de campo. Como a equipe Sub15 do Vasco vinha comprovando força apesar dos desfalques da Seleção, nada levava a crer que a partida seria tão difícil quanto efetivamente o foi.

Praticamente 60 minutos de domínio, com muita correria e poucas oportunidades dos atacantes vascaínos. Empenho e entrega não faltaram mas foi o adversário que conseguiu abrir o placar e a partir daí, redobrar a garra.

Nos minutos finais é que o Vasco conseguiu o empate após Loran encobrir o goleiro e deixar Mosquito livre para marcar.

Nas cobranças de pênalti o Vasco saiu com o ponto extra sendo necessário que todos os jogadores batessem, com a decisão ficando para a décima primeira cobrança.