Considerações sobre o Vasco na 23ª Copa Santiago

Opinião de quem não foi aos jogos mas acompanhou a competição com interesse:

Logo de cara o torcedor do Vasco tem que entender que uma competição como a Copa Santiago é diferente de tudo que estamos acostumados no Sudeste, e aí incluo a Copa São Paulo.

Começa que são dois grupos e um estado divido em dois, um lado vermelho e outro azul onde é histórico o bairrismo. Some-se a isso, um campo de jogo único, de dimensões pequenas e castigado por chuteiras e muita chuva.

Além do Brasil, vieram um clube do Paraguai, um do Chile e dois do Uruguai demonstrando a importância da competição organizada pelo Cruzeiro de Santiago.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Isso posto, e ouvi do comentarista da Rádio Santiago em 2010 e 2011, sobre a importância que é para jogadores formados nos clubes do sudeste e do Vasco no caso, em ter contato com uma escola de futebol completamente diferente.

Seria o encontro de um futebol mais baseado na técnica com outro mais viril e veloz. Isso por si só, já seria um ganho para todos os atletas vascaínos que participaram. Mas como todos querem discutir os resultados, vamos a eles.

Ano passado, com um regulamento diferente, nós passamos de fase com dois empates e duas derrotas, para perder para o Internacional na fase seguinte por 3 a 1. Em 5 jogos nenhuma vitória.

Fomos com um time mais jovem, muitos repetiram a dose este ano, mostramos técnica e nos faltou força. Deixamos boa impressão apesar de tudo. O mesmo comentarista afirmou que se mantivéssemos o time, faríamos bonito no ano seguinte.

Neste ano, apenas uma vitória sobre o Universidad de Chile, uma derrota para o Cruzeiro local e uma goleada para o Defensor do Uruguai. A repercussão foi bem negativa.

A verdade é que o Vasco tem pouca experiência neste tipo de competição e não se prepara para ela, não leva um time específico para o tipo de jogo lá jogado e sim os atletas que serão avaliados em preparação para o Estadual. Bons valores do 93 foram para a Copa São Paulo e outros 94 ficaram no Rio em preparação para o Juvenil.

O Técnico Zé Dias que é Auxiliar do Juvenil e portanto está se despedindo desses jogadores que irão para a categoria Júnior em 2011, ainda montou o grupo com 4 atletas recém-chegados ao Vasco: O Zagueiro Lucas Jean, o Volante Eron, os Meias Wágner Lúcio e Bruno Paixão

Pelos números e comentários, o Meia Bruno pelos dois gols e pela titularidade na última partida aproveitou bem a competição, assim como o jovem Zagueiro 95 Lucas Jean que na mudança tática para a última partida onde o Técnico Zé Dias optou pela mudança para o esquema 3-5-2, arranjou um lugar no time titular.

Daqui do Rio e lendo as diversas escalações, deu para perceber que o Técnico Zé Dias jamais se acomodou, fazendo sucessivas alterações na equipe para que ela encontrasse um padrão de jogo mínimo. Foi sempre sincero nas entrevistas não tapando o sol com a peneira. Usou quase todas as combinações de Meias e volantes até se render a mudar o esquema de jogo. Utilizou os atletas novos e pelo menos isso poderá ser acrescentado em suas avaliações.

Soube também da participação do Coordenador Teixeira para fazer que o grupo mantivesse o foco apesar dos resultados e da dificuldade de classificação. O fruto do trabalho veio nesta última partida que apesar do empate, foi aquela que empolgou a torcida local.

O Zagueiro Thadeu, que no ano passado, após a contusão de Wellington Coelho, fez dupla com Luan Teixeira pelo Juvenil, foi merecedor de elogios.

O Lateral Direito Rafael Reis mais conhecido como Siri, jogador de futsal de primeira mas que teve poucas oportunidades no Juvenil, voltou a participar de uma campanha do Vasco.

O Lateral Esquerdo Dieyson teve a oportunidade de voltar, pelo Vasco, ao local onde se formou para alegria de seus pais, orgulho dos torcedores do Cruzeiro de Santiago e para servir de inspiração aos atletas da região.

E para concluir, o centroavante Cícero pelos gols marcados, pois na sua posição a cobrança vem em forma de estatística e os números são impiedosos.

Agora, explicação…somente quando a delegação retornar ou se o site oficial der uma exclusiva com o Técnico Zé Dias ou o Coordenador Teixeira. Este post quer passar para os demais torcedores do Vasco que, apesar de tudo, boas coisas puderam ser aproveitas.

Será ótimo que o Vasco possa voltar em 2012 para expor seus atletas em formação a essa experiência única, caberá a cada um e à comissão técnica torná-la enriquecedora.

Tenham certeza que as coisas ruins deste ano não passaram despercebidas pela comissão técnica.

Anúncios

6 Respostas para “Considerações sobre o Vasco na 23ª Copa Santiago

  1. Sinceramente eu acho que o Vasco tem um nome para ser respeitado,chega de atuações medíocres, a diretoria tem de cobrar dos treinadores da base garra e vontade para conquistar títulos, chega de ser mero participante.
    Abraço.

    • Concordo com tudo que você escreveu e principalmente com o nome a zelar.

      Apenas quero relativizar a situação específica deste torneio.

      Por outro lado, eu poderia relativizar níveis de investimento. Por exemplo: Jogar contra uma equipe como o Inter que investe 12MI/ano na base quando investimos 2MI é pior do que quando enfrentamos o profissional do Inter que investe 80MI e nós 40MI.

      Na base é seis vezes maior e no profissional é duas vezes maior.

      Mas queria deixar claro que a idéia não foi ser complacente com a derrota, tanto que escrevo que a comissão técnica registrou o que de errado aconteceu. Justificar eu não posso mesmo e nem me cabe. Eu quis foi fazer algumas considerações que passaram sem que eu conseguisse colocar nas notícias dos jogos.

  2. Apesar das críticas, é nas derrotas que os garotos mais aprendem. Fortalecer a humildade, assim como o espírito vencedor, é um aspecto fundamental na formação dos jogadores, inclusive para manter a cabeça no lugar posteriormente, quando o sucesso chegar.

    Parabéns aos garotos pela participação, agora, como você bem falou, é parabenizar pelos pontos positivos e trabalhar para melhorar os pontos negativos.

  3. Companheiro Bom Dia!!-Eu só poderia concordar com vc, qdo fala em bairrismo, agora falar da Equipe do Vasco é complicado ano passado já foi mal se classificou para a 2 fase sem ganhar de ninguém, e essa desculpa de campo, chuteira é pra justificar incopetência pois isso é igual pra todos não justifica. Abraços

    • Emerson não é igual para todos não. Quanto pior o campo, quanto menor suas dimensões a forma de jogar baseada na força prevalece.

      Que o time do vasco foi incompetente para vencer os adversário eu sei. Está estampada nos placares.

      A questão que estou levantando é que o Vasco poderia formar um time dos mais fortes e mais viris da geração, ou fazer novas aquisições do sul para montar uma equipe capaz de competir nessas condições específicas de igual para igual, mas não vale a pena.

      Assim, será normal sofrermos na Copa Santiago, sofrimento que eu acho que vale a pena. Como apenas acho, tô aberto a considerações que me façam mudar de idéia.

      Só deixando claro. As escolas de futebol do Rio Grande do Sul, do Paraguai e do Uruguai são vencedoras mas não é a nossa, não combinam com nossa personalidade, sonhos e clima.