Juvenil do Vasco campeão da Super Copa Cidade de Valença

Álbum de imagens

Ter, 8 de Setembro de 2010
C.R. Vasco da Gama (5)0x0(4) Fluminense F.C.
11:30 no Estádio do Clube dos Coroados em Valença

Cobradores: Renato Silva, Henrique, Lucas Toledo, Wálber e Dieyson

Vasco: Diego; Eduardo Haas (Matheus Borges); Miranda, João Paulo e Dieyson; Sotter, Renato Silva, Rafinha (Henrique) e Wálber; Romarinho (Breno) e Rômulo (Lucas Toledo). Técnico: Zé Dias. Coordenador: Antônio Teixeira. Prep. Físico: Leonardo Leão. T. Goleiros: Guilherme Almeida. Suplentes: Vitor Hugo e Matheus Silva. Lesionado: Reginaldo.

Explosão de alegria

Mais uma final neste ano entre Vasco e Fluminense em competições de base. O Juvenil do Vasco em diversas categorias vinha levando desvantagem, mas nesta Terça-Feira em Valença-RJ, o grupo comandado pelo Técnico Zé Dias tratou de mandar pelos ares o que podia se tornar um tabu indesejado.

E foi nos pênaltis, sofrido e disputado com intensidade, contando com a cumplicidade de todos, e acima de tudo doação ao Vasco para disputar uma prorrogação após o 4º jogo em dias consecutivos.

Parabéns a todos, atletas e comissão técnica lideradas pelo Coordenador Antônio Teixeira, que deixaram boa impressão dentro e fora de campo para a população de Valença e redondezas.

O Jogo:

O Sol surgiu por entre as nuvens da manhã fria pouco antes do apito inicial para Vasco x Fluminense. O Técnico Zé Dias que perdeu o Centroavante Reginaldo no primeiro dia da competição, armou o ataque com Romarinho e Rômulo. Para essa partida, Rômulo iniciou mais centralizado enquanto Romarinho compunha o ataque pelos lados, sempre com auxílio dos laterais Eduardo Hass e Deiyson.

Eduardo, muito elogiado pela torcida local por atuações anteriores, não decepcionou e apoiou com muita intensidade. Dieyson, titular do Juvenil no Estadual, usou de sua experiência para levar perigo ao flu, tendo sofrido falta a centímetros da lateral da área.

Romarinho em alguns momentos voltava para armar jogadas junto com Rafinha e Wáber na tentativa de fugir da marcação, mas por mais que o Vasco tivesse mais posse de bola, deu poucos chutes a gol na primeira etapa. A bola chamais chegou limpa no ataque.

A marcação era a tônica do jogo para ambos o lado e jogo decisivo não é lugar de brincadeira. Lá atrás, Miranda pela direita e João Paulo, capitão da equipe,pela esquerda, tiveram muito trabalho ‘quebrando bolas’.

O Recém chegado Diego Soter, vindo do Ceará, formou a barreira de volantes com Renato Silva e tinham a função de anular as principais peças do adversário que também pouco criou. Assim sendo, o Goleiro Diego teve mais trabalho em saídas do gol e na reposição de bola do que fazendo defesas propriamente dito.

Para segunda etapa, o equilíbrio pouco se alterou, a doação dos atletas começou a sucumbir ao calor. Pelo lado vascaíno as jogadas passaram a se concentra na direita onde o Técnico Zé Dias costuma fazer substituições com mais frequência.

Eduardo Hass correspondeu e foi à linha de fundo algumas vezes com cruzamentos de qualidade que infelizmente não conseguiram ser aproveitadas pelos atacantes. Enquanto isso Dieyson ficava mais contido na marcação.

O Técnico Zé dias começou a usar suas armas e colocou em jogo o Meia Esquerda Henrique e Meia Breno que teve que formar o ataque ao lado de Rômulo na ausência de outro atacante no banco. Numa jogada em que recuou na marcação, Breno acertou belo lançamento virando da esquerda pra direita para a subida de Eduardo.

O jogo era intenso e até lá atrás o cansaço começava a mostrar sinais. O Zagueiro Matheus Borges, recem chegado do Volta Redonda, entrou de volante, Renato Silva foi compor o lado direito para saída de Eduardo extenuado.

Enquanto isso, o Zagueiro João Paulo e o Volante Miranda improvisado na zaga faziam partida impecável cometendo poucas faltas na proximidade da área.

Técnico Zé Dias incentivou a equipe o tempo todo

O jogo chegou ao fim e foi para prorrogação onde o Vasco finalmente mostrou clara superioridade física e esteve mais perto de abrir o placar com a jogada mais aguda de todo o jogo nos pés do Meia Henrique que virou sobre a zaga aproveitando-se da técnica e do fato de ter vindo do banco, mas chutou para fora.

Ao perceber que o jogo iria para os pênaltis o Técnico Zé Dias ainda fez a última substituição colocando o Lateral Esquerdo Lucas Toledo em campo no lugar de Rômulo, pela sua qualidade na cobrança de tiros livres.

Enquanto o Fluminense carimbou o travessão na sua primeira cobrança, todos os batedores vascaínos foram impecáveis e assim o Vasco conquistou o Título da Super Copa Cidade de Valênça.

Capitão João Paulo foi prestigiado pela família

Anúncios

2 Respostas para “Juvenil do Vasco campeão da Super Copa Cidade de Valença

  1. Parabéns a todos, jogadores e toda comissão técnica. Será um ano de muitas glórias para nossa base, já começamos com o juniores, e ao que tudo indica teremos mais títulos. Valeu Vascão.